Dirigir em ponto morto economiza gasolina?

Com a alta no preço do combustível, a economia logo vem a mente pois abastecer o veículo é uma necessidade.

A preferência por carros econômicos é a busca da maioria dos consumidores. E se o carro já vier de fábrica, melhor ainda. E duvido quem nunca ter feito o teste ou uso do ponto morto em muitas situações de economia, será isso uma lenda que dizem que dirigir o carro em ponto morto economiza a gasolina?

Isso tem gerado uma grande discussão com muitas opiniões bastante contrárias – e até mesmo contraditórias. Para ­­­­­responder a esta pergunta é preciso entender um pouco da história.

De onde surgiu essa dúvida?

Nos tempos do carburador, o sistema do motor era totalmente mecânico. Nos anos 1990 isso mudou com a chegada da injeção eletrônica – o que deu um salto enorme quanto ao gasto de combustível e desenvolvimento desse sistema específico como um todo.

A resposta dos carros foi mais imediata a partir do uso dos computadores. Muitos motoristas acham que se desligarem o motor e descerem em ponto morto utilizarão menos combustível, mas muitos  especialistas não concordam com isso. A explicação está na função da embreagem: fazer a comunicação entre o sistema de transmissão e a caixa de marcha.

A injeção eletrônica faz com que as mensagens que são enviadas ao computador continuem a enviar combustível mesmo quando o carro está em movimento.

Somente quando se aciona a quinta marcha é que a rotação sobe de 1500 a 2000 RPM e aciona o sistema cut-off, que entende que o motor está funcionando por meio de um embalo – e sem a aceleração, a passagem do combustível é cortada.

Eles dizem ainda que a única real economia de combustível acontece quando se tira o pé do acelerador por completo – e então, com o carro em movimento, pode-se  economizar no uso do combustível que já existe no tanque.

Mas o que parece ser vantagem pode não ser. Bom lembrar que existe um risco quando se anda em ponto morto, que é a comunicação entre roda e motor ficar parada. Neste caso, o motorista perde muito do seu controle sobre a direção – e não poderá se utilizar do volante tão prontamente.

Sem falar na infração de trânsito. Andar em ponto morto pode render ao motorista a perda de 4 pontos na carteira e uma multa de R$ 85,13 – com riscos de retenção de veículo. Será que vale correr tanto risco assim?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *